Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Área(s) de concentração e linha(s) de pesquisa

Publicado: Quinta, 19 de Outubro de 2017, 18h11 | Última atualização em Domingo, 21 de Abril de 2019, 10h36 | Acessos: 804

Área(s) de concentração.

- Desenvolvimento Regional e Urbano da Amazônia  

O objetivo da área de concentração é lidar com as complexidades urbanas e com o mosaico territorial, social, econômico, ambiental da região. A Amazônia é o objeto de estudo e, em especial, as heterogeneidades sociais, estruturais e espaciais da Amazônia Oriental, compreendendo que é possível interpretá-la sob diferentes recortes territoriais urbanos e regionais.
Esta área de concentração, num primeiro movimento, contempla a interpretação sobre o ‘planejamento do desenvolvimento na Amazônia’, e passa pela revisão crítica da longa trajetória de ação governamental, desde os planos quinquenais da Superintência Plano de Valorização Econômica da Amazônia (SPVEA) até políticas regionais aplicadas atualmente. O segundo movimento interpretativo contempla a abordagem territorial aplicada ao processo de urbanização, tendo em vista que o processo de integração capitalista manifesta diversas formas de escalas e vários gradientes que resultam em intensidades urbanas no território, não se manifestando somente por meio de assentamentos humanos e aglomerações, mas também por elementos relacionados à produção capitalista do espaço. Trata fundamentalmente das características gerais e distintas da dinâmica regional e urbana que abrangem as atividades econômicas da agroindústria e a indústria extrativista na sub-região; da problemática urbana redimensionada pela intensificação da migração, as formas de uso do solo, as formas de morar, a infraestrutura social e as ações do poder público. Preocupa-se, ademais, com as questões econômicas, sociais e ambientais de áreas não-urbanas dada a heterogeneidade fundiária e agrária da Amazônia, por ser um mosaico territorial composto por terras privadas, unidades de conservação, terras indígenas, assentamentos rurais e quilombolas.

Linha(s) de pesquisa. 

(1) Economia, Desenvolvimento e Dinâmicas Regionais

O objetivo desta linha de pesquisa é realizar pesquisas sobre a dinâmica regional na Amazônia, considerando as estruturas produtivas e os seus impactos para a economia. A análise sobre este  temática perpassa pela discussão do conceito de desenvolvimento regional para compreender as dinâmicas territoriais e regionais, por intermédio de metodologias que contemplem quantitativa e qualitativamente o planejamento, caracterizado pelos planos, programas e projetos para superação das desigualdades regionais, inter-regionais e intraregionais da Amazônia. Esta linha de pesquisa considera imprescendível  novas reflexões teóricas e empíricas sobre a forma como o processo de acumulação de capital foi implementado sob o espaço regional amazônico e suas derivações na estrutura da dinâmica de expansão do capital, para possibilitar compreender o diagnóstico dos problemas e subsidiar alternativas pelas políticas públicas

Os temas de pesquisa dessa linha são: Desenvolvimento regional; Formação econômica da Amazônia; Planejamento do desenvolvimento da Amazônia em suas múltiplas dimensões e escalas; Relações entre políticas macroeconômicas e dinâmicas regionais na Amazônia; e Processos de aglomeração econômica locais e regionais.

 

(2) Espaço, Território e Urbanização

O objetivo desta linha de pesquisa é realizar estudos sobre os processos histórico-geográficos e econômico-sociais que levaram à urbanização do território amazônico. A linha abarca: estudos sobre as dinâmicas territoriais e urbanas que orientaram as intervenções públicas e privadas no espaço, considerando os conflitos gerados e os agentes que agem e disputam as diferentes formas de uso/acesso ao solo e ao território em suas feições rurais e urbanas; avaliações acerca das políticas desenvolvimentistas promovidas pelo Estado na Amazônia ao longo do tempo, observando-se tanto pelo lado da promoção de novas dinâmicas socioeconômicas e, por outro, da formação das fronteiras internas e seu efeitos no processo de urbanização; análise e estudos de avaliação de impactos territoriais sobre as comunidades tradicionais e sobre a intensidade e extensividade da urbanização, devido ao crescimento vinculado direta e indiretamente ao agronegócio e às atividades de mineração; estudos circunstanciados sobre as cidades e suas periferia urbanas e as novas formas urbanas que surgem muito longe das áreas metropolitanas, como consequência dos grandes investimentos em infraestrutura logística (estradas, ferrovias, hidrelétricas), dando características específicas à produção social do espaço na Amazônia, o que pode modificar a forma de atuação das políticas públicas e as concepções de planejamento urbano.

Os temas de pesquisa dessa linha são: Políticas públicas e processos de urbanização; Dinâmicas econômicas, produção do espaço e formas urbanas; e Gestão territorial, etnodesenvolvimento e conflitos na Amazônia

Fim do conteúdo da página